Forte de São Telmo de Malta

Forte de São Telmo de Malta

A história de Malta teria sido completamente diferente se não fosse o Forte de São Telmo. Esta fortificação, símbolo de Valletta, resistiu a ataques otomanos e aos bombardeios da Segunda Guerra Mundial.

No extremo norte de Valletta, na península de Sciberras, ergue-se o imponente Forte de São Telmo, monumento que tem sido testemunha e protagonista de importantes episódios da história de Malta.

Os aragoneses que reinaram em Malta construíram uma fortaleza defensiva entre os portos de Grand Harbour e Marsamxett. Em 1533, os Cavaleiros de São João aproveitaram para construir o Forte de São Telmo, e o equiparam com arquitetura militar e uma forma de estrela para se protegerem das potências vizinhas.

O Grande Cerco de Malta

Em 1565, as tropas otomanas tentaram conquistar Malta ao entrar em Valletta. Aí, eles se encontraram com a resistência fiel dos cavaleiros que, do Forte de São Telmo, lutaram e tentaram impedir o avanço turco.

O forte resistiu trinta dias e foi palco de terríveis combates. No total, morreram 1500 cavaleiros e malteses e mais de 4000 turcos, muito mais que o dobro. A coragem e a resistência dos cavaleiros de Malta foram recompensadas ​​com a vitória sobre os turcos e com a ajuda econômica de vários países europeus.

Graças a essas receitas, os cavaleiros reconstruíram o Forte de São Telmo, que logo se tornou o monumento mais simbólico de Valletta.

Visite o Forte de San Telmo

O Forte de São Telmo, ou Forte de São Elmo em inglês, é um monumento essencial que desempenhou um papel fundamental na história de Malta. A estrutura do forte permanece quase intacta e é interessante percorrer o interior para descobrir sua magnitude.

Atualmente, abriga a academia de polícia maltesa e o Museu da Guerra. O Forte de São Telmo também foi cenário do famoso filme "O expresso da meia-noite".

No forte, você pode ver as torres de vigia e ter uma vista espetacular do Grande Porto de Valletta. Além disso, você verá as salas antigas onde se guardava a artilharia, os canhões originais e os inúmeros aposentos onde os Cavaleiros da Ordem viviam.

O Museu da Guerra

Durante a Segunda Guerra Mundial, o Forte de São Telmo aguentou os bombardeamentos aéreos de Itália e da Alemanha e os malteses receberam a Cruz de São Jorge.

Devido ao seu simbolismo como núcleo defensivo, o Forte de São Telmo abriga o Museu Nacional da Guerra. Entre a coleção de armas que são exibidas, estão aviões, munições, motocicletas e artefatos da Segunda Guerra Mundial.

No museu, também é possível ver exemplos dos trajes originais usados ​​pelos militares malteses da marinha e da força aérea durante a guerra. O Museu da Guerra também exibe armas primitivas da pré-história encontradas em escavações arqueológicas.

Horário

De junho a outubro: todos os dias das 9:00 às 18:00 horas.
De novembro a maio: todos os dias das 9:00 às 17:00 horas.

Preço

Adultos: 10€
Estudantes e maiores de 60 anos: 7,5€.
Crianças entre 6 e 11 anos: 5,5€
Menores de 5 anos: entrada gratuita.

Transporte

Ônibus: linha 133 (parada Iermu).